...

B. O. ANIMAL

Página de Registros de Denúncias, Notícias e Informações da Causa Animal.

A VERDADEIRA FACE DOS RODEIOS!


CRUELDADE CONTRA ANIMAIS
RODEIO




Petição contra rodeios no Brasil:



Esporte? 





Laçada de bezerro: animal de apenas 40 dias é

perseguido em velocidade pelo cavaleiro, sendo

laçado e derrubado ao chão.



Ocorre ruptura na medula espinhal, ocasionando

morte instantânea. Alguns ficam paralíticos ou

sofrem rompimento parcial ou total da traquéia.

O resultado de ser atirado violentamente para o

chão tem causado a ruptura de diversos órgãos

internos levando o animal a uma morte

lenta e dolorosa.



Laço em dupla/team roping: dois cowboys saem

em disparada, sendo que um deve laçar a cabeça do

animal, e o outro as pernas traseiras. Em seguida os

peões esticam o boi entre si, resultando em ligamentos

e tendões distendidos, além de músculos machucados.



Bulldog: dois cavaleiros, em velocidade, ladeiam o

animal que é derrubado por um deles, segurando

pelos chifres e torcendo seu pescoço.




FERRAMENTAS DE TORTURA






Peiteira: Consiste em outra corda ou faixa de couro

amarrada ao redor do corpo do animal, logo atrás da

axila. A forte pressão que este instrumento exerce no

animal acaba causando-lhe ferimentos e muita dor tbém.



Polaco (sinos): Na peitera são colocados sinos, os

quais produzem um barulho altamente irritante ao

animal, o qual fica ainda mais intenso a cada pulo seu.



Aliás, ressaltemos que a irritação que o polaco causa

aos touros é inclusive reconhecida pelos próprios

apreciadores e praticantes de rodeios, já que é

definido em sites do gênero como: "sinos de metal

colocados no touro para irritá-lo".



Existem ainda alguns apetrechos e métodos utilizados

para colaborar com as "acrobacias" dos animais que

são utilizados nos bastidores de rodeios, além da

situação estressante que os animais são submetidos

nos momentos que antecedem sua entrada nas arenas.

Dentre eles podemos citar:



Objetos pontiagudos: pregos, pedras, alfinetes

e arames em forma de anzol são colocados nos

sedenhos ou sob a sela do animal;



Choques elétricos e mecânicos: aplicados nas partes

sensíveis do animal antes da entrada à arena;



Terebintina, pimenta e outras substâncias abrasivas:são introduzidas no corpo do animal antes que

sejam colocados na arena, para que fiquem

enfurecidos e saltem. As substâncias abrasivas

em contato com cortes e outros ferimentos no

corpo do animal causa uma sensação de

ardor insuportável;



Golpes e marretadas: na cabeça do animal, seguido

de choque elétrico, costumam produzir convulsões

no animal e são os métodos mais usados quando o

animal já está velho ou cansado, com a finalidade

de provocar sua morte.



Descorna: o chifre dos bovídeos, para a realização

de determinadas provas, é “aparado” com a utilização

de um serrote, sem anestésico, e causando

sangramentos e dor aos animais;



Transporte dos animais: os animais são transportados

em minúsculos espaços, e para que embarquem ou

desembarquem dos caminhões, são obrigados a

passarem por rampas, sendo que muitas vezes os

animais escorregam e se fraturam neste ato;



Brete: é o local onde ficam confinados os animais

antes da prova e onde são preparados para montaria.

Neste momento o animal passa por uma situação

enorme de estresse.



RODEIO É COVARDIA, BASTA!



Para repudiar, não vá a festas com

rodeios que utilizam animais.



Não compre produto ou serviço de empresas

que patrocinam rodeios.







ALGUNS EXEMPLOS DE CIDADES ONDE RODEIO É PROIBIDO NO BRASIL

O que é rodeio?
Rodeio é uma atividade de tortura causada aos animais usados no evento, que ao se defenderem dos bravos montadores, pulam desesperadamente e rodopiam tentando se livrar daquele mal, no qual cada giro é um flash aos olhos do público que admira a coragem do Cowboy que tenta se manter por 8 segundos ensina do animal e dessa forma, além de ganhar fama e "grana" também gera absurdo de lucros aos organizadores!

Proibição por lei: Rio de Janeiro, São Paulo, Sorocaba, Guarulhos, Jundiaí. Proibição por decisões judiciais: Ribeirão Preto, Ribeirão Bonito, Itu, São Pedro, Bauru, Arealva, Avaí, Itupeva, Cabreuva, Américo Brasiliense, Rincão, Santa Lúcia, Boa Esperança do Sul, Cravinhos. Ao contrário de Maricá onde o empregadinho da empresa só pode dizer "sim senhor" para os patrões, nessas cidades-exemplo as barbáries de rodeio por serem inconstitucionais não são permitidas.

Obs.: Busque união com pessoas que discordam dessa prática violenta que nada tem haver com cultura e vá em busca dos direitos dos animais. Junte provas, não desista!


Apesar da origem norte-americana, até mesmo por lá esta prática não tem sido considerada cultural, havendo, inclusive, cerca de 15 cidades que já proíbem essas práticas em seu território, entre elas Fort Wayne (Indiana) e Pasadena (Califórnia). Aqui no Brasil, diferentemente do que dito por muitos, a prática do rodeio nada tem de cultural, tratando-se de uma cópia do modelo norte-americano.

Os animais utilizados nas práticas de rodeios sofrem flagrantes maus-tratos, podendo-se rebater facilmente qualquer argumentação contrária, tendo-se em vista que existem diversos laudos oficiais atestando o sofrimento e maus-tratos aos animais utilizados em variadas práticas, destacando-se os laudos emitidos pela Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia da USP e do Instituto de Criminalística do Rio de Janeiro.

Temos ainda as argumentações dos organizadores de rodeios, as quais rebatemos brevemente a seguir:
- Sedém não causa dor, apenas cócegas: o sedém, ao comprimir a região dos vazios do animal, provoca dor, porque nessa região existem órgãos como parte dos intestinos, bem como a região do prepúcio, onde se aloja o pênis do animal. Portanto, o ato do animal corcovear é a comprovação de sua dor e estresse, fazendo com que instintivamente tente se livrar de todos os apetrechos que lhes colocam;
- O animal trabalha apenas por 8 segundos: 8 segundos é o tempo que o peão deve permanecer no dorso do animal, porém deve-se lembrar que o sedém e colocado e comprimido tempos antes do animal ser colocado na arena (ainda no brete) e também tempos depois da montaria. Além disso, há declarações de peões de que treinam de 6 a 8 horas diárias, portanto, todo este tempo o animal estará sendo maltratado.




                                         
Nenhum Animal Salta e Corcoveia Sem o Uso do Sedém


                                                                               


                     Esta seria a sua graça?

Recentemente (Julho/2011) Uma égua agonizou até a morte em Festa do Tomate/RJ: http://boanimal.blogspot.com/2011/07/blog-post.html

Veja recente caso cruel em Barretos - 19/08/2011 - 2º dia de evento mata um bezerro de 4 meses:
http://boanimal.blogspot.com/2011/08/animais-de-barretos.html?utm_source=BP_recent