...

B. O. ANIMAL

Página de Registros de Denúncias, Notícias e Informações da Causa Animal.

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Ideia Legislativa propõem a Isenção de Impostos sob Medicamentos à Ong´s e Protetores da Causa Animal

  "Oportunidade de assistência, tratamento, controle, combate e prevenção de doenças transmissíveis em animais" são parte da Proposta Legislativa.



ecidadania
                  sos causa animal














Uma Iniciativa Popular (não política) está circulando nas Redes Sociais através do compartilhamento do link: https://www12.senado.leg.br/ecidadania/visualizacaoideia?id=88141&voto=favor do Senado Federal. E ao receber 20.000 apoios, a ideia se tornará uma Sugestão Legislativa e será debatida pelos Senadores. 
Acesse: https://www12.senado.leg.br/ecidadania/visualizacaoideia?id=88141&voto=favor
A Ideia surgiu no mês de Agosto/17 e sua data limite para receber 20.000 apoios será até o dia 16/12/2017, sendo necessários cerca de 600 cliques por mês. Mas para receber tanto alcance, é muito importante a divulgação nas redes sociais de todo o Brasil. As Organizações Não Governamentais de Proteção Animal e Protetores Independentes se unem para ajudar a informar essa boa Ideia Legislativa, que trás benefícios à Causa Animal no tratamento de doenças.

Acesse: https://www.facebook.com/events/150249032238864/

Divulgação em Grupos de Defesa Animal no Facebook

Divulgação através de Ong's de Proteção Animal 

Divulgação através de Ong's de Proteção Animal

Divulgação através de Ong's de Proteção Animal

 
                                                Divulgação através do Whatsapp                                                             

O boanimal apoia essa Ideia. Apoie você também e divulgue. 
A Causa é Nobre!




sábado, 5 de agosto de 2017

KIT PET - Primeiros Socorros

Todo mundo tem em casa uma caixinha de remédios utensílios para humanos, não é mesmo?
Este hábito de automedicação ou autoatendimento não substitui o médico por exemplo, mas é útil em alguns casos, por isso é comumente chamado de Kit Primeiros Socorros.
Mas e quanto ao seu animal de estimação, como proceder?

É importante conhecer a saúde e necessidades dos animais de estimação, suas habilidades e capacidades, para saber com que está lhe dando no dia a dia, pois um cachorro por exemplo tem mentalidade de uma criança de 2 anos e deve ser supervisionado. Ele pode comer lixo, sapatos, brinquedos, plantas venenosas e até beber produtos de limpeza, o que causará intoxicação, envenenamento e morte se não socorrido à tempo. Há também casos de ferida superficial que, se não tratada imediatamente, poderá ocasionar infecção profunda e até irreversível. Então Tutores devem ficar atentos quanto aos cuidados e garantir segurança e bem estar aos animais.

Para resguardo, tenha um Kit de Primeiros socorros em casa. Os principais itens são:



Utensílios

* Algodão - limpeza de áreas delicadas, como olhos, ouvidos e focinho;
Água Oxigenada 3% - para limpeza de feridas;
* Agulha - para aplicar injeção muscular ou subcutânea;
* Colar Elizabetano - para tratamento de ferida;
* Cotonetes - para a limpeza de regiões delicadas;
* Spray Anti Séptico - usado no machucado;
* Esparadrapo - para curativo;
* Gaze - limpeza e curativos;
* Luvas de látex (descartáveis) -  proteção à contaminações;
* Soro Fisiológico - lavar o ferimento;
* Tesoura sem ponta - corte parcial dos pelos para curativos ou retirada do mesmo;
* Pinça - para remover espinhos ou qualquer corpo estranho que possa machucar;
* Focinheira - contra reações adversas durante o procedimento;
* Termômetro - para aferir a temperatura;
* Rolos de atadura - para imobilização e curativos;
* Lanterna - para visualização em locais com pouca luz;
* Seringa - para ministrar medicação;

Medicamentos

* medicamentos para vermes;
* vômitos;
* febre;
* diarreia;
* antialérgicos;
* removedor de cerúmen;
* pomadas oftalmológicas;
* pomadas dermatológicas;
* vitaminas;
* remédios contra pulgas e carrapatos;

Consulte o Médico Veterinário o nome dos medicamentos para utilização dos mesmos. Não tenha um Kit Primeiros Socorros se não souber como ou quando proceder. Consulte data de vencimento e local arejado para armazenamento do Kit!

quarta-feira, 19 de julho de 2017

Como anunciar a doação de um animal de estimação

As orientações à seguir evitam que animais sejam descartados, tanto pelo Tutor (que deseja doar seus animais de estimação) quanto pelo Adotante (que deseja devolver). As orientações envolvem o comprometimento, a responsabilidade e a Conscientização da Adoção Responsável.

Antes de mais nada, devemos deixar claro que é nossa responsabilidade, do nascimento ao destino dos filhotes de nossos animais de estimação. Sabemos que animais cruzam e se reproduzem, sabemos também que eles necessitam de cuidados médicos como a esterilização (castração) e a vacinação (imunização contra doenças) e isso é direito do animal e dever do tutor providenciar e garantir. E sabemos ainda que as Ong's de Proteção de Animais e serviços públicos da Causa estão aí para orientar e indicar caminhos para solucionar tais "incidentes", que não significa transferência de responsabilidades, apenas referências de apoio na melhor destinação dos animais.

ATENÇÃO: Antes de colocar um cão ou gato para adoção, providencie avaliação de veterinário, para garantir que o bichinho esteja saudável (LAUDO),  vacine (V2 em caso de filhotes e à partir de V8 para adultos), vermifugue e no caso de cães ou gatos acima de 6 meses, castre antes de doar ou doe com o compromisso de castrar, ou mesmo providencie através de uma Ong ou Serviço Público. Filhotes devem ser doados à partir dos 45 dias de vida, quando começam a comer alimentos moles! 




Como anunciar um animal para adoção responsável?
  • Tire fotos de forma bem visível ou faça vídeos de um momento divertido;
  • Informe a idade aproximada, cor e tipo de pelagem, o sexo, o porte, o temperamento, os vícios ou costumes;
  • Tenha a posse do cartão de vacinas e laudo do médico veterinário atestando boa saúde;
  • Esclareça o motivo da adoção, a importância do Termo de Adoção e que os interessados ainda estão sujeitos à um Questionário de Adoção;
  • Poste tudo na internet/rede social de forma pública, com contato e marque as ongs, protetores da região e compartilhe em grupos específicos ou com grande número de membros ou volume de informações em geral;
  • Solicite se necessário, orientações diretas com as Ong's, bem como da oportunidade de encaminhar o animal à uma de suas Feiras de Adoção;

Promovendo Adoção Responsável


 Um cãozinho ou gatinho não necessita de bens materiais para viver bem, eles amam seu Tutor incondicionalmente para dar e receber carinho e atenção no domicílio. Mas não é por causa disso que vamos negligenciar os cuidados básicos e de rotina, afinal estamos falando de Vida e Responsabilidade. Muitas pessoas adotam ou compram animais por impulso, para presentear alguém. E por muitas vezes coloca em risco o destino desses animais, lembrando que há Direitos e Deveres previstos em Lei.


  Antes de adotar ou doar um bichinho de estimação, deve-se levar em conta tais informações:

1 - Animal é ser vivo;
2 - Animal é senciente;
3 - Animal têm mentalidade de uma criança de 2 anos; 
4 - Animal vive em média 10 anos;
5 - Animal é dependente;

  E antes de doar, é fundamental ter o compromisso de "entrevistar" os interessados, pois o futuro do animalzinho dependerá da forma como será encaminhado à adoção. 

  As Ong's de Proteção Animal desenvolveram critérios interessantíssimos, capazes de "selecionar" bons adotantes e conscientizar os demais interessados. Confira: 



Questionário para Adoção de Cães e Gatos

ONG_________________ Data: _________ Nº: _____

Responsável pelo questionário: ______________________
Informações sobre o candidato à adoção

Nome: _________________________________________
Ident.: _______________________  CPF: ______________
Endereço: ________________________________________
Bairro: ____________ Cidade:______________ Estado: ________
Tel/Cel: ___________ E-mail: _______________________ Idade: _______
Profissão: _____________________  Empregado?  Sim _______ Não _______
Animal que pretende adotar:   Cão _____   Gato ______    Fêmea ______  Macho ______
Quantos animais já possui (espécie e nº):  Cão ___  Gato ___  Outro ___

Informações sobre as condições de adoção e de criação:

Seus motivos para adotar ______________________________________
Atividade principal do animal (marque abaixo): 
Companhia _____   Guarda _____   Caçar ratos _____   Outra ___________
Quem vai sustentar o animal adotado: _____________________________
Essa pessoa concorda com a adoção?  Sim ______   Não ______   Não sabe da adoção _____
Nº de adultos na casa: _____     Nº de crianças na casa e idades: _____________
Nº de cômodos na casa: _______     Residência:  Própria _______   Alugada ______
Se é alugada, o proprietário permite animais?    Sim _______    Não _______    Não sei _____
Todos na residência estão de acordo?   Sim _____   Não _____   Não sabem da adoção _____
Quem e por que poderá não estar de acordo ____________________
Principal responsável pelos cuidados com o animal _______________
Essa pessoa concorda com a adoção?   Sim __   Não __    Não sabe da adoção ____
Há alguém na casa que é alérgico a pelos ou não gosta de animais?  Sim _______  Não _____
Quanto acredita que vai gastar por mês para criar o animal? __________
Esse valor está disponível no orçamento?  Sim _____   Não _____  Não sei ____ 
Alimentação que pretende oferecer ao animal: Ração ______  Comida ______  Ambos ____ 
Onde o animal vai ficar (marque abaixo): 
Quintal ___   Área interna ___   Canil ___   Dentro de casa ___   Outro ___________
Como o animal vai permanecer (marque abaixo):
Solto o tempo todo (24h) ______     Preso o dia todo e solto só à noite _____
Preso parte do dia ____    Preso o tempo todo (24h) ____    Outro ______________
Se vai ficar preso, indique como:   na corrente ______    área fechada ______    canil _____
O animal terá:  espaço para brincar _____   brinquedos _____   lugar para se abrigar ____
passeios acompanhado _____   passeios sozinho ______   companhia de outro animal ____
companhia humana o dia todo ____      companhia humana parte do dia _________
não terá companhia humana ____     não terá companhia de outro animal _____
O que fará com o animal quando viajar: ______________
O que fará se o animal fugir ou se pe_________________
O que fará se não puder mais criar o animal: ____________
Acrescente alguma informação que achar necessária:_______

Informações sobre outros animais:

Quantos animais já criou (espécie e número): ________
O que aconteceu com os animais que já teve (marque abaixo):
doei para conhecido ___  doei para abrigo ___  coloquei na rua __   fugiram __
deixei na residência ____   morreram ____  Motivos das mortes: _____
Costuma esterilizar seus animais?  Sim ___   Não ___   Pq não? _____
Costuma vacinar seus animais?  Sim ___  Não ___  Pq não? _______ 
Costuma vermifugar seus animais?  Sim ___  Não ___  Pq não? ______ 
Médico veterinário que costuma utilizar _______
Forma que usa para educar o animal: _________

-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-

CRITÉRIOS PARA DOAÇÃO  (manter em folha separada)
NÃO DOAR NAS SEGUINTES SITUAÇÕES:
– a pessoa recusou-se a assinar o Termo de Adoção e Guarda;

– pessoa aparentando estar alcoolizada ou drogada;
– não exibe os documentos: identidade, CPF, comprovante de residência;
– menor de idade desacompanhado de adulto;
– mostra medo ou repulsa no contato com o animal;
– está desempregado ou não tem emprego fixo;
– residência alugada e o proprietário (ou convenção do prédio) não permite animal;
– motivos alegados para adotar: dar de presente para alguém sem que este tenha conhecimento, fazer guarda em local onde não há presença humana permanente, usar como reprodutor, usar em práticas combatidas (rinhas, rituais, etc) 
– há alguém na residência que não está de acordo ou não sabe da adoção;
– a pessoa que vai sustentar ou ser responsável pelos cuidados com o animal não sabe ou não concorda com a adoção;
– não tem condições financeiras para cuidar do animal;
– o animal será mantido permanentemente isolado ou preso, em área, canil ou corrente;
– o animal não terá espaço suficiente (nem compensação com passeios diários), será deixado sair sozinho, não terá abrigo contra intempéries;
– o animal será mantido sem companhia humana nem de outro animal por todo o dia;
– destino impróprio dado aos animais que já teve: muitos animais doados para terceiros, abandono na rua ou na residência de onde saiu, muitas fugas, mortes por falta de assistência ou recursos;
– educa os animais de forma imprópria ou cruel (por exemplo: machuca, deixa sem comer ou imobilizado, mantém em isolamento por longo tempo);
– não tem com quem deixar o animal quando viaja; deixa sozinho na residência;
– admite que irá abandoná-lo na rua ou dar a desconhecido se não puder mais criá-lo ou quer o animal para caçar ratos;
– o animal demonstra repulsa pela pessoa, embora seja dócil e sociável (tenta fugir ao contato, ameaça, tenta morder ou arranhar).

APROFUNDAR E ESCLARECER, ANTES DE DECIDIR DOAR:

– o adotante reside fora do município, do estado ou do país;
– número grande de pessoas em residência com poucos cômodos;
– muitas crianças de pouca idade; presença de bebê ou gestante;
– não tem qualquer preferência, inclusive aceita qualquer espécie de animal;
– nunca criou animais antes (verificar motivos da adoção e informações que possui);
– já possui grande número de animais;
– o adotante não é a pessoa que vai sustentar ou cuidar do animal;
– motivos para adotar: não alega motivos objetivos ou os motivos parecem impróprios;
– não esteriliza, não vacina e nem vermífuga seus animais;
– não costuma levar seus animais ao médico veterinário;
– há pessoa alérgica a pelos ou que não gosta de animais na residência;
– não demonstra preocupação se o animal fugir ou se perder.

DOAR:

– o adotante não se insere em nenhum item do critério NÃO DOAR;
– as questões duvidosas do critério APROFUNDAR foram esclarecidas de forma positiva;
– a pessoa escolheu o animal a ser adotado;
– a pessoa demonstra afeto, cuidado e satisfação no contato com o animal.

DOAÇÕES ESPECIAIS – Doar apenas para pessoas conhecidas ou confiáveis:
– gato de pelagem totalmente preta;
– animal deficiente (ex: cego, amputado);
– animal muito idoso.
CONDIÇÕES PARA COLOCAR CÃO E GATO PARA DOAÇÃO:

– ser dócil e estar saudável;
– vermifugado e vacinado, pelo menos contra a raiva;
– esterilizado (fêmea e macho).

-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-.-
Este questionário para seleção do adotante de um animal, assim como os critérios para doação,  foram elaborados pela associação “Defensores dos Animais” e podem ser copiados e utilizados por todos que dele necessitarem. Sugerimos que a fonte seja citada.


  Vai doar um animal? 

sábado, 27 de agosto de 2016

Proteção Animal na Política cresce em todo o Mundo

A Causa Animal na Política garante o Bem Estar e convívio entre Animais e Pessoas


Cresce o número de ativistas e simpatizantes da causa animal no mundo todo. Campanhas e manifestações estão cada vez mais frequentes e criativas. Leis de maus-tratos são criadas e aperfeiçoadas. No Brasil, um projeto de lei amplia a pena de três meses a um ano de detenção para um a quatro anos de prisão. O mesmo documento cria três novos tipos penais: transporte inadequado, abandono e omissão de socorro a animais (http://www.anda.jor.br/17/09/2012/leis-de-protecao-animal-no-brasil-e-no-mundo-parte-ii).

Motivados pelo descaso com a Causa Animal em seu município, estado e país por uma política inconsciente e que consequentemente incentiva ainda mais o índice de abandono e maus-tratos de animais, Protetores e Simpatizantes se unem e ganham força para levarem a Causa até a Política, portados de Projetos de Lei, Campanhas e Estudos que provam a extrema necessidade de conscientizar o legislativo, executivo e judiciário para então refletir à população por meio de serviços voltados ao controle populacional de animais e garantir o bem estar e convívio com a sociedade, além de uma qualidade de vida à todos.

Para ajudar a população a identificar Protetores Candidatos em seu Estado, nas eleições de 2016, o site Vista-se, maior portal vegano do Brasil oferece consulta no link: https://vista-se.com.br/eleicoes2016/  que direciona para o perfil ou página no Facebook dos candidatos pela Causa Animal.

Mas o que de fato pretendem esses Defensores na Política?

As Ongs de Proteção Animal, são formadas por simpatizantes e que enfrentam no cotidiano a dificuldade de lhe dar com tamanho descaso, com o crescimento de animais abandonados e maltratados, sem fiscalização pública competente, sem o cumprimento de Leis já existentes e o município oferecer serviços e assistências para solucionar ou ao menos minimizar as principais ocorrências, o que leva ongs e pessoas anônimas à se responsabilizarem e se comprometerem com estes animais, sem apoio público e recursos, mudando o destino dos animais resgatados mas que não muda a realidade ou sessa de fato os problemas de abandono e maus tratos.

Quando encontrar um animal abandonado, vagando pelas ruas da cidade, revirando o lixo, transmitindo doenças, se reproduzindo e até causando acidentes, lembre-se que não somente os direitos dos animais não foram cumpridos, mas os direitos de ir e vir da população também não foram respeitados, e a causa disso é a falta de uma política consciente e responsável, que apresenta estudos e aprova leis municipais, que ofereça os serviços de captura e abrigo de animais, bem como o de esterilizar (castrar), vacinar, vermifugar e microchipar, para posteriormente devolvê-lo à população por meio de feira de adoção, com termo de 'posse', cadastro no sistema e fiscalização, em parceria com as ongs da região, promovendo o controle populacional dos animais. 



By: https://www.facebook.com/Silvinhadaprotecaoanimal/
       
http://silvinhadaprotecao.wixsite.com/43007


quinta-feira, 16 de janeiro de 2014

Homem mata seu cão após denúncia de maus tratos - RJ

Vídeo chocante do estado do animal levou Ativistas, Polícia e Mídia ao encontro do Acusado

Negou acusação, matou e fugiu...

Ricardo da Silva Brandão foi denunciado por maus tratos ao seu cão da raça cocker spaniel após vizinho postar vídeo do estado do animal, na data do dia 13/01.

O cão de nome Bob estava muito debilitado, acorrentado em local sujo e com uma imensa ferida exposta no lombo (próximo à cauda do animal), comido por bicheiras. O vizinho contou que um mau cheiro que exalava da casa de Ricardo até a sua residência o fez averiguar a situação que levou até o animal.

Ativistas e Simpatizantes da Causa se reuniram para levar mídia e polícia ao local da ocorrência na Rua Otacílio Pedro Vasco, Parque Anchieta - Rio de Janeiro.

Foi atualizada uma denúncia de que o cão teria sido jogado morto e queimado em um campo do exército próximo ao bairro. Após buscas pelo local foi encontrado o corpo do suposto cão queimado e dentro de um saco de ração.

Para se livrar das acusações Ricardo teria matado Bob e se livrado de seu corpo após a denúncia. O acusado fugiu e não há notícias de seu paradeiro.

Bob tinha chances de sobreviver. Após resgate receberia todo o tratamento veterinário necessário através de uma Ong e posteriormente disponibilizado para adoção de posse responsável.

Uma das comprovações de maus tratos causados ao animal em longa duração (meses ou mais) é o fato da própria bicheira originada no cão:

Moscas e Larvas:

As moscas são atraídas por ferimentos, cortes ou mordeduras, odores e sujeira, onde deposita de 200 a 400 ovos. As larvas eclodem depois de 12-24 horas. Os animais, como por exemplo um cão, pode se tornar hospedeiro apenas por atrair as moscar pelo seu calor corporal, tornando-se vítima das larvas que se alimentam de fluidos orgânicos e tecidos vivos, causando dor intensa. Um animal não tratado é torturado lentamente e agoniza até a morte.

Não há maiores informações sobre o caso até o momento.


Veja o vídeo da denúncia por vizinhos:https://www.facebook.com/photo.php?v=279956992156788
Link da reportagem da Rede Record: http://youtu.be/FtEs-iMtyHM
Video da Busca: https://www.facebook.com/photo.php?v=194468034085976

“O psicopata dá sinais desde cedo” - Autora do livro Mentes perigosas: o psicopata mora ao lado, que já vendeu mais de 650mil exemplares.




Crimes contra Animais
O Problema é maior do que se possa imaginar

Fonte: http://www.arcabrasil.org.br/blog/tag/violencia-contra-pessoas/ ..."Desde a década de 1990, o FBI leva em consideração os históricos de crueldade contra animais nas investigações de assassinatos e crimes sexuais. Existe uma boa razão para isso: estudos científicos conduzidos por autoridades em psiquiatria das universidades americanas estabeleceram correlação entre os crimes contra animais e a violência infligida a seres humanos. Concluiu-se que uma quantidade significativa de estupradores e assassinos em série haviam iniciado suas práticas criminosas ainda na infância, dirigindo sua violência contra animais.
No Brasil, um exemplo conhecido é o do motoboy Francisco de Assis Pereira, o Maníaco do Parque, que em 1998 confessou ter estuprado e assassinado 11 mulheres. O serial killer se tornou conhecido por esse apelido porque ele cometia os crimes e enterrava os corpos das vítimas no Parque do Estado, em São Paulo (SP).
Na época do julgamento, a defesa do criminoso alegou que este era mentalmente incapaz. Francisco foi então submetido a uma série de testes e exames, conduzidos por uma junta médica. O diagnóstico foi de um severo transtorno de personalidade anti-social –em termos mais antigos, psicopatia.
Na época dos crimes, a imprensa noticiou superficialmente que o motoboy apresentava antecedentes de prática de crueldade contra animais. Sobrinho de um açougueiro que mantinha um matadouro clandestino, desde pequeno Francisco gostava de assistir ao abate do gado. Ainda garoto, ele caçava rolinhas, mutilava-as e as fritava, ainda vivas. Também maltratava cães e gatos da vizinhança, com tiros de chumbinho e pedradas.
Mas por que os assassinos seriais geralmente têm os animais como suas primeiras vítimas? O principal fator que contribui para essa escolha é que pequenos animais são impotentes para se defenderem. Tornam-se assim as melhores cobaias para os futuros assassinos, que descobrem o “prazer” de causar dor e de dispor das vidas de suas vítimas.
O que fazer então?
É muito importante que a sociedade em geral se conscientize de que a violência contra animais é um problema grave, que pode aumentar de proporção e causar prejuízos ainda mais sérios à população. O papel primordial cabe à família, pois é ela quem tem condições de detectar os primeiros sinais de um comportamento potencialmente perigoso –e, a partir dessa constatação, corrigir esses padrões de forma adequada, recorrendo até ao auxílio médico e terapêutico quando necessário. Aos médicos veterinários, ficaria a responsabilidade de tomar as providências cabíveis sempre que suspeitarem de maus-tratos contra animais que porventura atendam. Psicólogos e médicos psiquiatras também precisam estar atentos a esta questão, assim como os juristas. Preparar estes profissionais para encarar situações como a de Eládia pode evitar transtornos mais graves no futuro. Dissociar um crime cometido contra um cão ou um gato dos casos de violência infligidos aos homens não é o melhor procedimento. Torna-se essencial analisar todos os âmbitos de casos como estes e procurar impedir o surgimento de novos “maníacos do parque”.
Se todos estiverem cientes de que a violência contra animais ameaça também o ser humano, todos terão muito a ganhar!"

quinta-feira, 12 de dezembro de 2013

Senador Pedro Taques ignora 300 mil pessoas e baixa Pena para Crimes contra Animais


SENADOR PEDRO TAQUES BAIXA PENAS PARA CRIMES CONTRA ANIMAIS E DESCRIMINALIZA O ABANDONO

Fonte: Crueldade Nunca Mais

Ignorando totalmente o clamor da sociedade (mais de 300 mil assinaturas entregues), estudos científicos que concluem que uma pessoa que maltrata animais é CINCO vezes mais propensa a cometer crimes contra humanos, documentos nacionais e internacionais que comprovam que proteger animais não é apenas uma questão humanitária, mas de SEGURANÇA PÚBLICA, o relator do Novo Código Penal, Senador Pedro Taques, BAIXOU AS PENAS para crimes de Maus Tratos a Animais e Rinhas, previstas no Projeto de Lei do Senado 236/12 (Novo Código Penal), e DESCRIMINALIZOU CONDUTAS TIPIFICADAS COMO CRIME pelos juristas ( Abandono, Transporte Inadequado e Omissão de Socorro).

O Senador ignorou inclusive a Pesquisa do DATASENADO que concluiu que 85% dos brasileiros querem que ABANDONO DE ANIMAIS seja crime.

Senador Pedro Taques

O Movimento Crueldade Nunca Mais trabalha pelo aumento das penas para estes crimes desde Janeiro de 2012, em meados de Abril, quando recebemos a informação de que a Lei de Crimes Ambientais seria encampada no referido projeto de lei, e sobre a possibilidade da descriminalização de condutas criminosas contra animais, iniciamos uma extensa campanha, com uma petição online que conta hoje com  quase 230 mil assinatura.

 Em Junho de 2012, no PLS 236 (Novo Código Penal), as penas para maus tratos a animais foram aumentadas para DE 1 A 4 ANOS, e foram criados novos tipos penais como: rinhas (pena de 2 a 6 anos), transporte inadequado (pena de 1 a 4 anos), abandono (penas de 1 a 4 anos) e omissão de socorro (pena de 1 a 2 anos).

O relator do Novo Código Penal, SENADOR PEDRO TAQUES (PDT- MT), afirmou em seu relatório substitutivo preliminar que baixará as penas para rinhas e maus tratos a animais e descriminalizará as condutas de transporte inadequado, abandono e omissão de socorro, já contempladas no projeto de lei que tramita no Senado.

Vale lembrar que o Senador mato-grossense recebeu em seu gabinete estudos científicos que comprovam a necessidade de se punir quem comete crimes contra animais, pois pessoas com tal perfil são cinco vezes mais propensas a cometer crimes contra humanos, recebeu também a cópia das 230 mil assinaturas da petição online, e soube que a II MANIFESTAÇÃO CRUELDADE NUNCA MAIS, reuniu no dia 18 de Agosto, cerca de 5 mil pessoas clamando pelo aumento das penas para crimes contra animais, na Avenida Paulista. Ele também tem conhecimento da campanha “EU APOIO O AUMENTO DAS PENAS PARA CRIMES CONTRA ANIMAIS NO NOVO CÓDIGO PENAL” que conta hoje com a participação de cerca de 3 mil pessoas.

Agora conclamamos a todos a se unirem nesta luta pelos animais. A sociedade brasileira não pode aceitar tamanho retrocesso.

Envie seu email de protesto aos Senadores que votarão o substitutivo proposto pelo Senador Pedro Taques:

pedrotaques@senador.gov.br, aloysionunes.ferreira@senador.gov.br, ana.rita@senadora.gov.br, armando.monteiro@senador.gov.br, cicero.lucena@senador.gov.br, eduardo.amorim@senador.gov.br, benedito.lira@senador.gov.br, eduardo.suplicy@senador.gov.br, eunicio.oliveira@senador.gov.br, jayme.campos@senador.gov.br, jorgeviana.acre@senador.gov.br, gab.josepimentel@senado.gov.br, lidice.mata@senadora.gov.br, magnomalta@senador.gov.br, ricardoferraco@senador.gov.br, sergiosouza@senado.gov.br, vital.rego@senador.gov.br

SUGESTÃO DE TEXTO

Senador Pedro Taques, eu repudio sua intenção de diminuir as penas e descriminalizar condutas cruéis contra animais contempladas no PLS 236/12.

Em lugar de baixar as penas para os crimes contra os indefesos animais, aumente as penas para crimes contra a vida humana.

Leis mais rígidas e punição severa para quem comete crimes contra a vida humana e dos animais, é o que a sociedade espera.

Os animais não votam, mas EU SIM!

Petição pelo aumento de penas para crimes contra animais (mais de 220.000 assinaturas):
http://www.peticao24.com/pelo_avanco_da_protecao_penal_ao_meio_ambiente_e_aos_animais

Fotos da população clamando pelo aumento de penas:
http://www.flickr.com/photos/52635946@N03/sets/72157635181469202/

Fotos da II MANIFESTAÇÃO CRUELDADE NUNCA MAIS - São Paulo
http://www.flickr.com/photos/52635946@N03/sets/72157635175091203/

Em nota do facebook o Senador afirma que " propõe energicamente o aumento do rigor penal no combate aos crimes contra os animais." para elucidar qualquer dúvida sobre suas intenções, e ações, também fizemos um quadro esclarecedor


















Fonte: http://reformadocodigopenal1.blogspot.com.br/2013/08/senador-pedro-taques-vai-baixar-as.html



quarta-feira, 11 de dezembro de 2013

Projeto Adotei é lançado em São Paulo






Paulo Skaf e Luisa Mell lançam exposição do projeto #Adotei no Centro Cultural Fiesp




10/12/2013 22:07 - Atualizado em 11/12/2013  11:18

Cerimônia contou com pocket show de João Carlos Martins e personalidades que atuam em movimentos de proteção de animais
Juan Saavedra, Agência Indusnet Fiesp
O presidente da Federação das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp) e do Serviço Social da Indústria de São Paulo (Sesi-SP), Paulo Skaf, e a ativista e protetora dos animais Luisa Mell lançaram na noite desta terça-feira (10/12), no Centro Cultural Fiesp – Ruth Cardoso, a exposição fotográfica do projeto #Adotei.
A ativista Luisa Mell e o O presidente da Fiesp e do Sesi-SP, Paulo Skaf, durante a inauguração da abertura do projeto #Adotei. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp
A mostra conta com 17 imagens de personalidades, artistas e anônimos com seus animais adotados, além dos registros de sete bem-sucedidos resgates feitos por Luisa e sua equipe de trabalho, a Emergência Animal. O público pode conferir a exposição até o dia 5 de janeiro de 2014.
Na cerimônia, Luisa Mell revelou estar muito emocionada, afirmando em seguida que o lançamento do projeto #Adotei dá início a uma nova era para a proteção de animais no Brasil. “A gente pode, sim, fazer um mundo melhor. Os animais não podem se defender. Eles precisam de nós”, disse Luisa, agradecendo ao Sesi-SP, do qual disse ser fã, e ao presidente da instituição, Paulo Skaf.
Na sequência, o presidente da Fiesp e do Sesi-SP parabenizou a ativista pela dedicação e determinação na luta pela proteção dos animais. “Ela, os companheiros e tantas outras pessoas lutam realmente por esses anjinhos que andam por aí, que são inofensivos, que só fazem o bem, e que precisam da atenção de todos.”
“Parabéns a todos que estão aqui, que, eu sei que muitos que estão aqui, assim como ela [Luisa Mell], assim como eu, amam os animais e os encaram como seres que merecem muito carinho e todo respeito”, disse Skaf.
O presidente das entidades elogiou ainda o maestro João Carlos Martins, que fez um pocket show, interpretando o hino nacional no teclado e, depois, acompanhou o tenor Jean William em dois números: “My Way” e “Ave Maria”.
Martins, que acabara de voltar de uma série de apresentações na Orquestra Bachiana nos Estados Unidos, disse amar os animais, parabenizando o Sesi-SP pela iniciativa.
Da esquerda para a direita: Walter Vicioni, João Carlos Martins, Luisa Mell e Paulo Skaf. Foto: Tâmna Waqued/Fiesp
O evento contou ainda com a presença de Walter Vicioni Gonçalves, superintendente do Sesi-SP, e de personalidades como  o adestrador Alexandre Rossi, especialista em Comportamento Animal que apresenta o programa Missão Pet (transmitido aos sábados, às 23h, pelo canal por assinatura National Geographic) e o quadro Desafio Pet (exibido aos domingos, pelo Programa Eliana, SBT).
Em entrevista à reportagem, Rossi disse que uma exposição como essa, em plena Avenida Paulista, com o apoio do Sesi-SP e a mobilização de Luisa Mell e outras personalidades,  ajuda a sensibilizar a sociedade para a causa.
“Eu trabalho mais para evitar o abandono. A procriação indesejada é a causa número 1. Todos os trabalhos científicos mostram que o mau comportamento [dos animais domésticos] é uma das três causas principais. E mau comportamento por culpa das pessoas que não educaram [o animal] do modo certo. Elas não educam, o cachorro não se comporta e depois elas abandonam.”


luisamell_campanha_adotei

O projeto #Adotei

O objetivo do projeto é conscientizar e sensibilizar a população sobre a posse responsável de animais e alertar sobre situações de maus tratos e abandono. “Quero mostrar a cara do abandono, que é triste e cruel, e também o outro lado, a felicidade da adoção”, antecipa Mell.

Com cliques feitos pelos fotógrafos Marcos Rosa e Daniel Benassi, a exposição #Adotei será itinerante em 48 municípios do interior paulista, nos 54 Centros de Atividades do Sesi-SP, a partir de janeiro de 2014. Paralelamente, acontecerão feiras de adoção de cães e gatos em parceria com as prefeituras locais, palestras educativas e venda das camisetas da campanha #Adotei. A renda será destinada a apoiar o trabalho da equipe Emergência Animal, liderada por Mell.
O projeto conta com o apoio da empresa Home It, que fará a venda das camisetas da campanha #Adotei pelo site www.homeit.com.br, e dos empresários Mica Rocha, Lelê Saddi, Helinho Calfat, Fabiana Saad e Gui Haji Touma.
A exposição tem fotos de personalidades como Lobão (cantor), Marina Ruy Barbosa (atriz), Celso Loduca (publicitário), Fúlvio Stefanini (ator), Giovanna Ewbank (atriz), Nina Pandolfo (artista plástica), Adriana Barra (estilista), José Loreto (ator), Mica Rocha (apresentadora e empresária), Dr. Pet (adestrador), Kadu Dantas (blogueiro), Guilherme Samora (jornalista), Lele Saddi (empresária) e Ellen Jabour (apresentadora e modelo).
Serviço
Exposição fotográfica #Adotei
Local: Centro Cultural Fiesp  – Ruth Cardoso – Espaço Fiesp II – (Avenida Paulista, 1.313, em frente à estação Trianon-Masp do Metrô).
Período expositivo: de 11 de dezembro de 2013 a 5 de janeiro de 2014 – Diariamente, das 10h às 20h.
Entrada gratuita
Classificação indicativa: livre
Os espaços têm acessibilidade.
Informações: (11) 3146-7405 e 7406