...

B. O. ANIMAL

Página de Registros, o Blog B.O.Animal ajuda a denunciar e arquivar casos testemunhados por Protetores e Simpatizantes da Causa Animal para não se deixar esquecer dos agressores (nem sempre punidos) e cúmplices de maus tratos e ocultação da verdade. Além de oferecer matérias importantes e interessantes sobre a vida animal, saúde, idade, alimentação, receitas caseiras, tirando dúvidas entre leitores sobre tratamentos e socorros!

Demos o primeiro passo, buscamos apoio e lutamos por Justiça às Vítimas, fatos que foram testemunhados e registrados por Protetores e Simpatizantes da Causa Animal são divulgados e arquivados, não conheceríamos os três maiores criminosos de outra forma: CAMILA CORREIA, DALVA LIMA DA SILVA e CLÁUDIO CÉSAR MESSIAS.

quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Aprovado Projeto contra o uso de Pele Animal

Comissão aprova projeto que criminaliza uso de pele animal em evento de moda

Projeto prevê reclusão de um a três anos e multa. A proposta ainda será votada pela CCJ e pelo Plenário.

Ricardo Tripoli: uso de peles estimula práticas cruéis. - Arquivo - Elton Bomfim


Ricardo Tripoli: uso de peles estimula práticas cruéis. - Arquivo - Elton Bomfim

A Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável aprovou nesta quarta-feira o Projeto de Lei 684/11, do deputado Weliton Prado (PT-MG), que torna crime o uso de peles de animais silvestres nativos ou exóticos, domésticos ou domesticados, em eventos de moda no Brasil. A pena prevista é de reclusão de um a três anos e multa.

O projeto acrescenta artigo à Lei de Crimes Ambientais (9.605/98). Para o autor, a criminalização do uso de pele de animais nas passarelas é uma forma de coibir o comércio do produto.


O relator do projeto na Comissão de Meio Ambiente, deputado Ricardo Tripoli (PSDB-SP), apresentou parecer favorável. “Sabemos que a indústria da moda exerce grande influência sobre os costumes sociais. O uso de peles em eventos de moda no Brasil certamente estimula a produção de animais em cativeiro e, consequentemente, as práticas cruéis.”


Tripoli afirmou que, embora a Constituição Federal e a Lei de Crimes Ambientais já prevejam punição às práticas de maus-tratos aos animais, a indústria da moda continua a fazer uso de peles em desrespeito às disposições legais. “Peles animais têm sido apresentadas nas passarelas brasileiras, inclusive nas coleções do inverno 2011, chegando ao vestuário cotidiano.”

Segundo o deputado, essa prática também contraria os princípios de sustentabilidade ambiental, de conservação da diversidade biológica e de proteção aos direitos dos animais.

A Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável aprovou o parecer do relator na forma de substitutivo que faz ajustes na redação original do projeto.

Tramitação
O projeto ainda será analisado pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania (CCJ) e pelo Plenário.

Íntegra da proposta:
PL-684/2011

A reprodução das notícias é autorizada desde que contenha a assinatura 'Agência Câmara de Notícias'

http://www2.camara.gov.br/agencia/noticias/MEIO-AMBIENTE/201959-COMISSAO-APROVA-PROJETO-QUE-CRIMINALIZA-USO-DE-PELE-ANIMAL-EM-EVENTO-DE-MODA.html

Nem todos os Cães uivam

...Mas qual será o motivo correto no caso do seu cão?

Cães costumam uivar por motivos curiosos e ligados à sua natureza e sensibilidade auditiva Foto: Getty Images

De acordo com Rubia Burnier, veterinária especialista em comportamento animal, uivar é um recurso usado pelo cão para se comunicar à distância, uma ferramenta útil especialmente quando não há contato visual. Quando o animal uiva, sua voz atinge um timbre mas alto e ele pode ser ouvido de longe.

"O uivo de um cão pode ser percebido a quilômetros de distância e serve para chamar atenção, localizar e reunir os membros do grupo. Esse comportamento foi herdado do lobo e é uma característica marcante em algumas raças, como husky siberiano, samoieda e malamute do Alaska. Esses cães uivam em vez de latir", diz a veterinária.

Outro motivo que estimula o cão a uivar, ressalta a especialista, é a presença de uma cadela no cio, cujo cheiro se espalha pelo vento, atraindo machos mesmo distantes e criando assim uma "sinfonia de uivos". Uivar geralmente não significa dor ou sofrimento, mas muitas vezes serve para aliviar o tédio e a solidão. Pode ser também uma maneira de o cão extravasar sua frustração.

Segundo Rubia, cães que ficam sozinhos por períodos longos uivam numa tentativa de trazer de volta seus companheiros de matilha, no caso, a família. "O uivo também expressa excitação e contentamento, como aqueles cães que uivam quando ouvem música", exemplifica a veterinária.


Fonte: http://noticias.terra.com.br/educacao/vocesabia/interna/0,,OI3614481-EI8410,00.html

Cuidados com seu Cão idoso

Como cuidar bem de seu velho cão

Quando chega uma certa idade, o cachorro realmente começa a enfraquecer, perder a visão, embranquecer os pelos, enfim. É comum vermos tais acontecimentos em nossos animais de estimação, algo que realmente aos poucos tira a nossa paz e nos preocupa com o passar dos dias. Mas eu quero hoje te passar alguns bons conselhos, até mesmo como experiência própria, para que depois você não venha se arrepender de suas atitudes diante de um acontecimento ruim.

Se o seu cachorrinho está ficando velhinho, está na hora de cuidar com mais dedicação dele, de se empenhar na segurança do animal para que ele possa viver então o dobro do que aparenta atualmente. Passe a comprar rações mais nutritivas, alimentos que contenham bastante proteína e vitamina, para realmente cuidar ao máximo. Mas evite trocar o local onde ele mora, porque se assim fizeres, ele poderá tropeçar com mais facilidade e então se machucar ou algo parecido.

O mesmo podemos nos referir para os gatos, mas em relação a eles é preciso mais cuidados ainda, pois eles são acostumados a saírem na rua, e dificilmente ficam em casa. O que precisa ser mudado na velhice, pois os perigos de um cachorro pegá-lo ou de um carro atropelar é bem maior, devido à velocidade que não é mais a mesma. Então o deixe sempre dentro de casa, não o tranque, mas não permita que ele fique a todo momento passeando pelas causadas e ruas.Cuidar de seus animais de estimação é uma obrigação sua. Imagine que todos os dias será o último dia dele, para que assim você o trate bem e o faça feliz!


Fonte: http://situado.net/como-cuidar-bem-de-seu-velho-cao/

O melhor Amigo das Caminhadas

Cães adoram passear, caminhar e correr

É claro que não devemos brincar com a saúde dos animais de estimação, mas se ele possui condições para sair contigo, para que condená-lo ao sedentarismo? Companhia agradável, que não reclamará de nada, mesmo estando muito ensolarado ou um dia frio.

E assim, além de cuidar de si, você estará passeando com seu cachorro e também cuidando do bem-estar do mesmo, da saúde e do seu refresco. O melhor de tudo em fazer as atividades físicas com o cachorro é que eles dificilmente ficam cansados, por isso você dificilmente diminuirá o seu ritmo, estando sempre na mesma velocidade e intensidade do início, o que é muito bom e necessário para que o exercício obtenha um melhor resultado. Pense nisso, seu cãozinho pode ser milhares de vezes mais apropriado do que muitos amigos e amigas que mais conversam do que cuidam da saúde ou da beleza!

Tosse de Cachorro

OBSERVE SEU CÃO!

A tosse de canis, mais conhecida como tosse de cão é causada geralmente peça ação de agentes infecciosos, como a bactéria denominada Bordelha Bronchiseptica e de dois vírus, o Parainfluienza e o Adenovírus, os quais agem de forma isolada ou em conjunto. Geralmente ataca os recém desmamados ou adultos com sistema imunológico fragilizado (estresse ou doenças como verminoses, anêmicos).

O que vale ressaltar é que a Bordelha Bronchiseptica pode acometer também os seres humanos, desta forma, é considerada como uma zoonose, que são doenças transmitidas de animais para o homem ou do home para os animais, que tem como agentes que desencadeiam essas afecções microorganismos diversos, como vírus, helmintos, bactérias, fungos, e rickéttsias. Geralmente, os cães que estão resfriados, o principal sintoma é a tosse seca, a qual parece que o animal está engasgado, e muitas vezes podendo expelir uma espécie de espuma branca. Esta tosse costuma piorar com a realização de atividades físicas, agitação e até mesmo pela utilização da coleira, pois este utensílio provoca uma pressão na região.

Em caso mais graves, o animal pode apresentar secreção nos olhos, falta de apetite, coriza e febre, sendo que em filhotes e em animais debilitados o quadro pode evoluir para problemas mais sérios, como por exemplo, a pneumonia. O tratamento desta doença e tosse é básico, sendo que consiste no uso de antibióticos, xaropes para aliviar a tosse, antiinflamatórios e confinamento do animal, evitando que o mesmo fique exposto ao vento, frio, umidade e ainda, evitar banhá-lo nas semanas seguintes até que a tosse desapareça.

Para os proprietários que contam com mais de um cão em casa, é possível perceber que cada animal contraia a doença com uma certa gravidade, sendo esta uma semelhança com a gripe humana, por isso, é indicado que principalmente nas épocas mais frias do ano procure proporcionar ambientes mais quentes e maior proteção contra o frio ao seus animais. Além disso, evite levá-los para passear em ambientes em que haja muita concentração de animais, como jardins, parques, canis, parques e lojas de animais. Vale lembrar que a gripe canina pode não apresentar a tosse seca, geralmente, este sintoma é mais comum em animais cardiopatas, isto é, em caos que contam com problemas cardíacos,, sobretudo, os idosos. Desta forma, é sempre importante levar seu cão a uma visita ao veterinário de confiança para o diagnóstico correto e adequado.

Roupas para Animais pode ser muito desagradável

As roupas para cachorros não é algo agradável para seu animal

Mesmo sendo bonitinho e agradável aos seus olhos, para seu animal pode não ser tão agradável como parece. Eles são acostumados há serem livres, e com seus pelos os protegendo dos ventos, então evite utilizar roupas em seus cachorros, só mesmo se estiver muito frio, ou mesmo se for sair com ele, e quiser passar um ar mais aconchegante aos outros.


As roupas para cachorros não é algo agradável para seu animal

As roupas para cachorros na maioria das vezes é um luxo dos donos, pois os cães possuem uma camada de pelo que os protege contra o frio, mas caso o mesmo esteja tosado é bom utilizar roupas que ele não pegue um resfriado. Mas existem cachorros que além desta camada de pelo que os protege do frio, há também uma camada de gordura sob a pele que os protege mais ainda do frio, deixando as roupas então dispensáveis, como o Husky Siberiano, o Terra Nova, entre outros. Em tempos de calor pode prejudicar a saúde e conforto do animal, deixando-o agitado, estressado e desesperado de tanto calor, fora que sem a troca e uma boa lavada das roupinhas pode abrigar ácaros, pulgas e carrapatos!



E sempre manter-se próximo do animal (principalmente se for um gato) pois a roupa pode se tornar um perigo em contato com arames, galhos, assim como o uso de coleiras em gatos, de forma que prende o animal em área de difícil acesso.

Então, em casa deixe-o sem roupas, para que ele possa andar mais a vontade e viver com maior tranquilidade!

terça-feira, 30 de agosto de 2011

Laudo divulga morte de Veados em ZOO-Recife

Dois veados do zoológico de Dois Irmãos foram envenenados

Laudo mostra que os animais, mortos nos dias 18 e 27 de junho deste ano, foram intoxicados por carbamato, substância utilizada na fabricação do chumbinho

Nota divulgada ontem pela Secretaria Estadual de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas) confirma a morte por envenenamento de dois veados do zoológico do Recife (PE). Segundo o laudo, os animais foram intoxicados por carbamato. A substância é utilizada na fabricação do chumbinho. O veneno, embora tenha a comercialização proibida, costuma ser empregado no controle de ratos.

Os testes foram feitos no Centro de Assistência Toxicológica (Ceatox), da Universidade Estadual Paulista, em Botucatu (SP). O laudo, datado de 16 de agosto, chegou ontem ao Parque Dois Irmãos, onde funciona o zoo, vinculado à Semas. A nota da secretaria informa ainda que a direção do parque encaminhou, ainda ontem, o documento à Delegacia de Polícia do Meio Ambiente (Depoma), “solicitando a continuidade das investigações sobre os fatos para identificação e punição dos culpados”.

Os veados, da fauna silvestre brasileira, morreram em junho, um no dia 18 e outro no dia 27. Antes do óbito, apresentaram sangramento pelo ânus, um dos sintomas de hemorragia interna. O zoológico conta com outros cinco veados, da espécie Mazama gouzoubira.

Há registro de mortes de animais no local desde março de 2009. Exames toxicológicos datados de 5 de março de 2009 confirmaram o envenenamento de um cervo-nobre, um antílope waterbuck e um hipopótamo. Outros, de 14 de agosto do mesmo ano, identificaram que também foram vítimas um emu, um jacaré-de-papo-amarelo, um cuxiú, um bugio-mãos-de-ouro e um cangambá.

A Depoma concluiu dois inquéritos que apuraram as mortes no zoo, em Dois Irmãos, Zona Norte do Recife. Por falta de provas, não conseguiu indiciar ninguém. Uma terceira investigação, ainda em curso, foi aberta com a morte dos veados.

A Depoma alega que é difícil identificar os autores do crime porque o zoo não dispõe de câmeras nos recintos onde se encontram os animais e a vigilância é precária. Há possibilidade, de acordo com os policias, de as mortes serem cometidas por visitantes, funcionários ou ex-funcionários do zoológico. O relatório do segundo inquérito, datado de 31 de maio de 2010, recomenda a elaboração de um plano de segurança, incluindo a instalação de câmeras e o reforço na vigilância.

No fim do mês de julho [há um mês], a Semas prometeu que, em três meses, de 10 a 15 câmeras seriam instaladas no Parque Dois Irmãos. As imagens, segundo o secretário Sérgio Xavier garantiu na época, seriam gravadas.

Além da morte de dois animais com suspeita de envenenamento, a Depoma apura denúncias de que animais estão sumindo no zoo. As diligências começaram em julho e correm paralelamente à investigação da morte dos dois veados. Os policias receberam informações de que animais dados como mortos na verdade desapareceram.

Fonte: JConline

Nota da Redação: Zoológicos são centros de confinamento e sofrimento, que reduzem a vida de animais essencialmente livres a uma existência limitada dentro de espaços artificiais, distantes de seus habitats. A partir dessa violência fundamental, decorrem outras piores, e enquanto não for banido esse tipo de tratamento que viola a natureza desses seres, que os separa dos espaços naturais a que pertencem, outros animais continuarão a sofrer todo tipo de infortúnio e dor – causados, em primeira instância, pelo confinamento e por todas as outras agressões que são permitidas em decorrência dessa condição de aprisionamento e vulnerabilidade.


Fonte: http://ne10.uol.com.br/canal/cotidiano/grande-recife/noticia/2011/08/30/dois-veados-do-zoologico-de-dois-irmaos-foram-envenenados-294041.php


Notícia Passada - 16/07/11

Polícia investiga mais mortes de animais no zoo do Recife



A Delegacia de Polícia do Meio Ambiente (Depoma) está investigando a morte de mais dois animais do zoológico do Recife, que desde março de 2009 tem registrado casos de envenenamento. O primeiro cervo-catingueiro morreu no dia 18 de junho deste ano e o segundo, nove dias depois. O policial Jeylson Santana, da Depoma, diz que há suspeitas de intoxicação, mas apenas o resultado dos exames toxicológicos poderão comprová-las.
Os bichos apresentaram os mesmo sintomas antes do óbito: sangramento no reto, possivelmente provocado por hemorragia interna. A necropsia foi realizada na Universidade Federal Rural de Pernambuco, onde pesquisadores coletaram fragmentos dos órgãos internos que foram enviados para análise no Centro de Assistência Toxicológica (Ceatox), da Universidade Estadual Paulista, em Botucatu (SP).
Além de amostras de tecidos dos dois animais, o Ceatox está avaliando uma banana encontrada no recinto do urso. Os tratadores do zoo não fornecem esse tipo de fruta ao uso e, em 2009, um pão coletado no mesmo local estava contaminado com veneno. Ou seja, essa pode ser a segunda vez que alguém tenta envenenar o urso. Os policiais não têm ideia de quem pode estar cometendo o crime. “Estamos trabalhando com todas as possibilidades: visitantes, funcionários ou ex-funcionários do zoológico”, diz Jeylson.
A Depoma tem dois inquéritos concluídos para apurar as mortes no zoo, que fica no Parque Dois Irmãos, na Zona Norte, vinculado à Secretaria de Meio Ambiente e Sustentabilidade (Semas). Por falta de provas, não conseguiu indiciar ninguém. “Não tem como saber se a pessoa que está envenenando os animais é de fora ou de dentro do parque porque todo mundo tem acesso aos locais onde os bichos estão”, constata a titular da Depoma, Verônica Azevedo.
A solução apontada pela delegacia para elucidar os crimes é a instalação de câmeras nos recintos dos animais. O relatório do segundo inquérito, datado de 31 de maio de 2010, recomenda ainda a elaboração de um plano de segurança, incluindo a instalação de câmeras e o reforço na vigilância.
A coordenadora técnica do zoológico, Luciana Rameh, diz que a mortandade de animais faz parte da rotina do lugar. Ela informa que o zoo conta com outros cinco veados-catingueiros.

Ritual cruel de engorda de porcos poderá ser banido em Taiwan

A engorda de porcos, prática cruel que já dura décadas e faz parte de uma cerimônia religiosa e tradicional de Taiwan, poderá ser banida, de acordo com grupos de proteção animal do país, conforme informou o jornal Focus Taiwan.

Segundo a Sociedade de Meio Ambiente e Animais de Taiwan (EAST), o concurso “Deus Porco” – que normalmente acontece durante o festival anual Hakka Yimin – não deverá mesmo ocorrer este ano.

Ao competidor que traz o maior porco é atribuído um prêmio. Para consegui-lo, esforços são feitos para que os porcos sejam forçados a comer e fiquem com três vezes mais peso que o normal. “Assim como humanos, obesidade causa sofrimento aos porcos e sérios problemas de saúde”, disse Chu Tseng-hung, da EAST.

Alguns porcos continuam sendo alimentados momentos antes da pesagem. Outra prática cruel é o ritual de matança. A garganta dos porcos é cortada com uma faca como um sacrifico às divindades.

Chu Tseng-hung pediu às agências governamentais relacionadas ao assunto que tenham participação mais efetiva na proibição do que ele descreveu como um ritual desumano e ilegal. “O Conselho de Agricultura deveria encorajar a lei de proteção animal”, disse.

Mencionando as investigações feitas pela EAST, Tseng-hung afirmou que o “Deus Porco” não é um ritual religioso indispensável na cultura Hakka. O representante da EAST sugeriu que a população use outros meios para celebrar o “Deus Porco”, como flores e materiais sustentáveis.

Outros grupos, a maioria da herança Hakka, também pediram o fim da tortura animal em atividades religiosas.

FONTE: http://www.anda.jor.br/2011/08/30/ritual-cruel-de-engorda-de-porcos-podera-ser-banido-no-taiwan/

Cavalo morre após ser espancado por carroceiro



No último dia 12 de agosto, a Chicote Nunca Mais foi procurada por moradores de Gravataí para socorrer um cavalo que havia caído na carroça e foi violentamente espancado pelo carroceiro na estrada Dioníso de Lima. Populares revoltados deram uma surra no agressor, que seria usuário de drogas. O cavalo estava no chão, atirado no barro, com muitos ferimentos na cabeça. Tinha o maxilar fraturado e ferimentos no olho, era muito magro e com visíveis sinais de maus-tratos anteriores. O carroceiro praticou toda a violência na frente dos filhos pequenos.



"Foi muito difícil conseguirmos um transporte, e só deu para levá-lo depois de quase duas horas. Quando chegou no Hospital Veterinário da Ufrgs, já estava em óbito. Temos o nome do agressor, laudo veterinário e TC da ocorrência. Vamos ao MP e queremos que seja exemplarmente punido. Enquanto a lei não for cumprida pelas autoridades o coisa não vai mudar - a Lei dos Crimes Ambientais é muito clara, ferimentos na cabeça do animal dobram a pena. Quando o óbito decorre da agressão, há acréscimo. A droga é uma escolha do usuário - o animal não pode escolher o dono. Esse desgraçado vai para a cadeia por empenho pessoal da Chicote", revolta-se Fair Soares, presidente da ONG Chicote Nunca Mais.

Monitor quebrado vira casinha de gato

casa-08.png

Se você tem um monitor quebrado e não sabe o que fazer com ele, essa casinha para gatos pode ser uma boa opção. Neste passo a passo você poderá aprender como dar uma nova serventia para monitores de computador ou mesmo televisões quebradas de forma útil, criativa e sustentável.

O processo é simples, mas é preciso ter alguns cuidados, especialmente na hora de desmontar o equipamento. Se você não souber ou tiver alguma dificuldade nessa etapa, prefira levar o monitor para um profissional capaz de desmontar suas peças sem danificá-las (já que elas poderão ser reaproveitadas e recicladas) e sem correr nenhum risco de se machucar.

Passo 1: Encontre um monitor

Podem ser utilizados monitores de computador ou televisores de qualquer tamanho. Tenha cuidado apenas com aqueles muito pequenos e verifique se o tamanho é adequado ao seu bichinho.

Fique atento (a) também para utilizar apenas aqueles aparelhos que não poderão mais ser consertados e reutilizados. Se ainda houver uma chance dele funcionar, deixe para fazer a casinha quando o monitor quebrar de vez.

Passo 2: Desmonte o monitor

casa-02.png

Muito cuidado nessa hora! Esses equipamentos podem armazenar uma carga elétrica por muito tempo em seus capacitores. Por isso tome todos os cuidados, como utilizar uma luva de segurança e ferramentas apropriadas.

Esse processo pode ser feito em casa, mas se você não tiver muita facilidade ou não se sentir seguro para desmontar a peça, não exite em levá-la a alguém que possa fazer isso com segurança.

Comece retirando os parafusos e porcas que prendem as peças e desencaixe cuidadosamente cada pedacinho. Remova o suporte, o fundo e todas as peças eletrônicas que puder.

Passo 3: Retire a tela

casa-03.png

Esse é o momento mais crítico do processo e quem não tiver muita experiência deve pedir ajuda a alguém que saiba mexer com circuitos elétricos.

Primeiro garanta o bloqueio da passagem elétrica para só depois separar a tela do circuito. E não esqueça de usar as luvas de segurança contra choques.


Passo 4: Recicle

Tudo que foi extraído do monitor deverá ser encaminhado para reciclagem ou para o descarte de lixo eletrônico. Jogar todo esse monte eletrônico no lixo comum é garantia de que tudo acabará em um lixão qualquer, poluindo o solo, o ar e os lençóis freáticos.

Por isso, procure um local adequado e entregue todas essas peças. Serviços como o Descarte Certo e o E-lixo maps podem ajudar nessa hora.

Passo 5: Remonte

Agora que você já tirou todos os componentes eletrônicos de dentro do monitor, é hora de remontá-lo. Pegue de volta todos aqueles parafusos e monte novamente a base e a parte de trás do monitor, que agora ficará completamente oco.

Nesse ponto a nova casinha já é suficiente para deixar qualquer bichano feliz. Basta limpar e colocar uma almofada na parte de dentro. Mas se você quiser deixar a “obra” perfeita, siga para o próximo passo.


Passo 6: Faça um travesseiro

casa-06.png

Essa etapa já é para quem quer deixar o bichano totalmente confortável. Como possui o formato do monitor, a parte interna não comporta um travesseiro comum, retangular, ao menos que ele fique todo amassado lá dentro.

Por isso, os mais caprichosos podem tentar fazer um travesseiro com as medidas exatas da nova casinha. Basta colocar uma folha de papelão debaixo do monitor e decalcar o formato. Depois é só recortar o pano e o enxerto do mesmo tamanho e costurar.

Passo 7: Decore

casa-07.png

Essa é a parte mais divertida de todo o processo. É hora de asas à criatividade e se munir de tintas, pincéis, sprays, fitas coloridas e o que mais quiser.

Não esqueça de limpar bem a parte interna antes de começar a arte. Depois, é só criar um tema para a nova casinha e começar a decoração.


Passo 8: Traga o gatinho para sua nova casa

casa-capa.png

Agora que a tinta secou e está tudo pronto é hora de entregar a “obra” ao seu novo morador.

Mais um gato feliz, um dono orgulhoso e um monitor a menos poluindo o planeta.


O conteúdo do EcoDesenvolvimento.org está sob Licença Creative Commons. Para o uso dessas informações é preciso citar a fonte e o link ativo do Portal EcoD.http://www.ecodesenvolvimento.org.br/noticias/monitor-quebrado-vira-uma-casinha-para-gatos#ixzz1WWHZWqg1
Condições de uso do conteúdo
Under Creative Commons License: Attribution Non-Commercial No Derivatives

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

EXPERIMENTAÇÃO ANIMAL

ANVISA APROVA PARCERIA COM INCQS PARA EXCLUIR ANIMAIS DE PESQUISA


9 de agosto de 2011

Os diretores da Anvisa aprovaram a proposta de instituir uma cooperação com o Centro Brasileiro de Validação de Métodos Alternativos (Bracvam), ligado ao Instituto Nacional de Controle de Qualidade em Saúde (INCQS-Fiocruz). A decisão foi tomada na tarde desta terça-feira (9/8), durante a reunião da Diretoria Colegiada.

O Bracvam é o primeiro centro da América do Sul a desenvolver métodos alternativos de validação de pesquisa que não utilizam animais na fase de testes. Muitos países já proíbem a produção e a importação de produtos desenvolvidos com testes em cobaias.

A União Europeia, desde 2004, rejeita a prática de utilizar cobaias em linhas de desenvolvimento de artigos direcionados ao mercado da beleza. Preocupados com essa tendência, algumas indústrias no Brasil têm investimentos para abolir teste com animais na produção de cosméticos.

Ao lado da questão ética do sofrimento das cobaias, as pesquisas que utilizam animais são vistas como menos refinadas do ponto de vista técnico científico, como explicou a diretora de Ensino do INCQS, Isabella Delgado, durante sua exposição sobre o Bracvam na Anvisa.

“Buscamos mais avanço técnico, resultados mais confiáveis, menos susceptíveis a erros, de menor custo e de mais fácil difusão em outros países”, disse Isabella Delgado. “Encontramos 14 pesquisas de métodos alternativos no país e nossa ideia é reunirmos essa expertise, pesquisarmos juntos”.

Segundo Eduardo Leal, diretor do INCQS, universidades públicas brasileiras e centros de produção de vacinas, como o Instituto Butantan e o Adolph Lutz, têm estudos para validação de métodos alternativos. “Com a Anvisa, vamos aproximar essa metodologia da regulação de produtos”.

A diretoria da Anvisa se comprometeu a levar ao INCQS a proposta de formação de um comitê gestor na Agência para este projeto de cooperação ser implementado com o Bracvam no próximo mês de setembro.

A agenda está marcada para a manhã do próximo dia 13 de setembro, na sede do INCQS, quando a reunião pública da Diretoria Colegiada da Anvisa será realizada na sede do Instituto, no Rio de Janeiro.

A transferência da Dicol pública para o INCQS é uma homenagem prestada pela Agência aos 30 anos de existência do Instituto, comemorados com uma semana de atividades, entre os dias 12 e 16 de setembro.

Ana Júlia Pinheiro - Imprensa/Anvisa


Fonte: http://portal.anvisa.gov.br/wps/wcm/connect/anvisa+portal/anvisa/sala+de+imprensa/menu+-+noticias+anos/2011+noticias/anvisa+aprova+parceria+com+incqs+para+excluir+animais+de+pesquisas

sábado, 27 de agosto de 2011

Para distrair!!!

Toque Piano, Órgão, Guitarra e outros instrumentos no teclado de seu computador, sem precisar baixar programa. Rápido, prático e simples!

AS TECLAS do computador A S D F G H J K L (DÓ RÉ MI FÁ SOL LA SI DÓ RÉ) substituem as teclas do teclado do piano.
Experimenta que é engraçado :

[piano.bmp]

Debate sobre o Rodeio de Barretos


O uso de animais em rodeios já era questionado, mas com o sacrifício de um bezerro após uma prova na Festa do Peão de Barretos na última sexta-feira (19), o debate ganhou mais força. O Ministério Público está investigando o caso não apenas para tratar deste acidente, mas também para saber se esta prova é prejudicial aos animais, conforme informou a promotora do meio ambiente de Barretos, Adriana Nogueira Franco. De acordo com ela, nesta terça-feira (23) foi enviado um ofício para a organização do evento, que tem dez dias para respondê-lo, a contar da data em que recebê-lo.

  • O tema foi, inclusive, um dos mais comentados no Twitter esta semana. O bezerro que precisou ser sacrificado foi usado em uma prova conhecida como bulldog. Nela, o peão desce de um cavalo em movimento e precisa derrubar o bezerro usando apenas as mãos. Na quarta-feira (24), a organização do evento informou que o competidor Cesar Brosco, que disputava a prova que acabou lesionando a vértebra cervical do animal, foi afastado por seis meses pela Associação Nacional de Bulldog.

De acordo com a nota, o afastamento foi solicitado por técnicos do Centro de Estudos do Comportamento Animal (ECOA), ligado ao clube que organiza a Festa do Peão de Barretos. O relatório feito pelos profissionais demonstra que “a infração poderia ter ocorrido por conta de uma manobra executada de forma irregular”. O peão César Brosco diz sofrer retaliaçãopelo ocorrido.


sexta-feira, 26 de agosto de 2011

Exposição de peles em São Paulo

Fonte: Facebook

Uma exposição de peles está sendo mostrada na Craft Design, feira de artes, que está sendo realizada na Daslu, em SP. A tal Silvina expõe um horror de peles verdadeiras em tapetes, almofadas, rabos de raposa, um teatro macabro. Abaixo vai o site e contato da feira CRAFT DESIGN. Por favor deixe seu comentário para Silvina sobre a tortura financiada pela empresa: www.silvinamarotti.com


Golfinhos que 'pescam' com conchas

Golfinhos que 'pescam' com conchas surpreendem cientistas


Os golfinhos sacodem conchas no ar para tirar os peixes que estavam escondidos ali. Foto: BBC Brasil

Pesquisadores acreditam que um método de pesca com conchas pode estar se espalhando entre a população de golfinhos de Shark Bay, no Oeste da Austrália. Os cientistas fotografaram golfinhos-nariz-de-garrafa do Indo-Pacífico (Tursiops aduncus) pegando conchas com o bico e as sacudindo no ar fazendo com que a água saísse de dentro delas, assim como os peixes que estavam escondidos ali.

O pesquisador Simon Allen, da Universidade de Murdoch, diz que o comportamento - raramente visto anteriormente - parece estar se tornando mais frequente na região. E enquanto outras técnicas de pesca usadas por golfinhos são geralmente ensinadas verticalmente, de mãe para filhos, o uso de conchas pode estar sendo passado entre golfinhos do mesmo grupo.

"Se realmente estamos testemunhando a difusão horizontal deste comportamento, eu assumiria que isso acontece quando um golfinho observa atentamente um companheiro golfinho pescando com conchas e aí imita o comportamento", diz Allen. "Há uma fascinante possibilidade de que esse comportamento possa se espalhar diante de nossos olhos, ao longo de algumas pesquisas de campo, e de que possamos registrar essa difusão."


Comportamento raro

Os golfinhos de Shark Bay só haviam sido vistos levando conchas nos bicos cerca de cinco vezes durante 25 anos de pesquisas na região, mas ninguém havia conseguido explicar o comportamento. Entre 2007 e 2009, pesquisadores da Universidade de Murdoch e da Universidade de Zurique observaram que os golfinhos estavam tentando pegar peixes escondidos dentro das conchas.

Durante os quatro meses de pesquisa de campo, em 2011, em Shark Bay, os cientistas conseguiram registrar o comportamento em pelo menos seis diferentes oportunidades. Agora, eles querem descobrir exatamente como os golfinhos usam as conchas. "Ainda não sabemos se os golfinhos simplesmente seguem os peixes até que eles procurem refúgio em uma grande concha ou se os golfinhos chegam a mexer nas conchas anteriormente, talvez as virando com a abertura para cima com o objetivo de torná-las mais 'atraentes' para os peixes como um lugar de esconderijo", diz Allen.


Fonte:http://noticias.terra.com.br/ciencia/noticias/0,,OI5313665-EI8145,00-Golfinhos+que+pescam+com+conchas+surpreendem+cientistas.html#tarticle