...

B. O. ANIMAL

Página de Registros de Denúncias, Notícias e Informações da Causa Animal.

quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Cadela agonizando a 24hs é encontrada por um acaso em Vale Grande

BARBÁRIE ASSUSTADORA

PROCURA-SE CRIMINOSO. O MESMO PODE NÃO TER AGIDO SOZINHO!


Uma rottweiler foi encontrada em situação muito crítica, no meio do mato, enrolada em sacos de plástico e com pedras de 15 quilos em cima, em Vale Grande, Águeda. 

Uma equipa de voluntários do Porto resgatou no passado 31 de Agosto em Vale Grande, Águeda, uma cadela de raça Rottweiler que se encontrava à beira da morte. A cadela foi encontrada no meio do mato por um local que procurava o seu cão e que deu o alerta à Associação dos Amigos dos Animais de Águeda. Por não ter capacidade de resposta, a associação partilhou o apelo com um grupo de voluntárias do Porto que, nesse mesmo dia, visitava as condições do abrigo. O Grupo de voluntárias dirigiu-se ao local onde se depararam com um cenário impressionante.
A cadela encontrava-se em estado muito grave: inconsciente, com um buraco na parte posterior da cabeça, embrulhada num saco de plástico, com calhaus de 15 kg em cima dela, debaixo de um calor de 35 graus. Estima-se que tenha estado assim cerca de 24 horas.
“A nossa prioridade foi tirar-lhe os sacos, as pedras, levá-la para a sombra, dar-lhe água e tentar baixar-lhe a temperatura corporal", relata Fátima Seixas, uma das voluntárias.
Com o apoio dos bombeiros locais, após 8 horas de resgate, a cadela foi levada para o Hospital Veterinário do Baixo Vouga onde ainda hoje permanece a recuperar. Após avaliação do animal, o resultado do Raio-X revelou que o buraco que o animal apresentava na cabeça foi provocado por um tiro de caçadeira.
Para além dos maus-tratos visíveis, a cadela não apresenta identificação eletrônica nem existe qualquer registo da câmara que possa possivelmente corresponder ao animal. Além disso, estima-se que esta tenha cerca de quatro anos, e o fato de apresentar cauda amputada pode indicar mais uma falta de cumprimento da legislação portuguesa, quer por parte do proprietário como do criador.
O Grupo está empenhado em divulgar esta história de modo a apurar os culpados e sensibilizar a população. O caso já foi denunciado ao SEPNA – Serviço de Proteção da Natureza e do Ambiente. O Núcleo de Proteção Ambiental da GNR de Águeda já começou as investigações.
A cadela foi batizada de “Xena” por ter sido uma verdadeira guerreira. A sua história já está a gerar uma onda de solidariedade que começou não só no hospital em que foi assistida – tentando reduzir os custos de tratamento do animal – como virtualmente, onde o grupo de voluntários criou uma página de facebook dedicada à Xena para divulgar o caso bem como apelar contra a impunidade de quem pratica estes atos:
https://www.facebook.com/groups/302297883158584/