...

B. O. ANIMAL

Página de Registros, o Blog B.O.Animal ajuda a denunciar e arquivar casos testemunhados por Protetores e Simpatizantes da Causa Animal para não se deixar esquecer dos agressores (nem sempre punidos) e cúmplices de maus tratos e ocultação da verdade. Além de oferecer matérias importantes e interessantes sobre a vida animal, saúde, idade, alimentação, receitas caseiras, tirando dúvidas entre leitores sobre tratamentos e socorros!

Demos o primeiro passo, buscamos apoio e lutamos por Justiça às Vítimas, fatos que foram testemunhados e registrados por Protetores e Simpatizantes da Causa Animal são divulgados e arquivados, não conheceríamos os três maiores criminosos de outra forma: CAMILA CORREIA, DALVA LIMA DA SILVA e CLÁUDIO CÉSAR MESSIAS.

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Encontrado Cães em freezer de Restaurante - SP

Invasão Coreana
Fonte: Protetores Facebook

Cães servidos à mesa de Restaurante Coreano em Piracicaba - SP


Segue denúncia abaixo:

"Queridos amigos:
Recebemos dos amigos do FACEBOOK e estamos repassando....
Esse
Restaurante Coreano localizado na BO aqui em Piracicaba SP,  foi interditado pela vigilância sanitária na semana passada após 
ser encontrado 3 CÃES EM SEU FREEZER, o que é um absurdo para nós.
Pois
bem já imaginaram que quando seus cães fugirem eles nunca mais serão 
encontrados pois estão pegando os cães de rua para comer, sem 
contar que também compram os mesmo para engordar e abater...
Se vc gosta da culinária coreana pode estar comendo cães e nem imaginar...
Ano
que vem a Hunday vai trazer 5.000 famílias para Piracicaba, já 
imaginaram o que isso significa? Sem contar que as vagas que eles 
oferecem a nós são as piores, uma verdadeira discriminação para conosco.
Precisamos
ensinar a esses seres a respeitar nossa cultura e não comerem nossos 
animais. Uma vez que estão em nosso país devem respeitar a nossa 
cultura!"

Proibido abate de Chinchilas no Brasil - Tripoli


Aprovado projeto de Tripoli que proíbe o abate de chinchila no país


(Brasília, 23 de novembro de 2011) – A Comissão de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável aprovou nesta quarta-feira, por unanimidade, relatório ao Projeto de Lei 5956/2009, de autoria do Deputado Ricardo Tripoli (PSDB-SP), que proíbe o abate de chinchila para fins comerciais, em todo o território nacional.
PRÁTICAS CRUÉIS
O relatório elaborado pela Deputada Rebecca Garcia (PP/AM) enaltece o projeto de Tripoli. No texto, a relatora argumenta que a chinchila será incluída – muito em breve – à lista de animais dos quais não se deve fazer uso da pele na União Européia e em outros países.
Na avaliação de Tripoli, a questão que se coloca neste projeto de lei está acima dos interesses comerciais. “Sentimo-nos no dever de combater o sacrifício de animais realizado apenas para alimentar a vaidade humana. Por que ceifar a vida desses pequenos animais para confecção de casacos de luxo?”, questiona o parlamentar paulista.
Ricardo Tripoli explica que a chinchila, pequeno roedor originário dos Andes, tem o pelo 30 vezes mais suave que o cabelo humano. “Devido à sua beleza, maciez e capacidade de isolamento térmico, as peles desse animal sempre foram muito valorizadas para a confecção de casacos de frio. Mas a indústria da moda há muito dispõe de tecnologia para produzir roupas quentes com outros materiais”, pondera o deputado. “Devemos promover na sociedade brasileira, valores em defesa da vida e contra os maus tratos a animais”, completa.
COMÉRCIO MILIONÁRIO
Estima-se que o comércio global de pele de chinchila atinja mais de US$ 10 milhões por ano. O Brasil, segundo Tripoli, é o segundo maior produtor mundial desse tipo de pele. O parlamentar sustenta ainda que, para produzir um casaco, é necessário abater entre 40 e 50 animais, o que eleva seu custo para algo em torno de 80 mil dólares (cerca de R$ 138,6 mil).
A proposta, que tramita em caráter conclusivo, será analisada pela Comissão de Constituição e Justiça e de Cidadania e seguirá para apreciação no Plenário.
Para conhecer a íntegra do projeto, clique aqui.
Clique aqui para ler o relatório.




Fonte: Assessoria do deputado

Justiça para Vucko - Bósnia


Atrocidade sem punição/ Bósnia

Cão tem face arrancada por fogos de artifício

24 de novembro de 2011

Adaptação e tradução por Patrícia Tai (da Redação)
Dois adolescentes embriagados na Bósnia resolveram “se divertir” colando fogos de artifício na boca de um cão Pastor Alemão e explodindo em seu rosto. Tendo feito isso, tiraram, e deixaram a criatura indefesa a sofrer. O pobre cão, conhecido como Vucko, aparentemente agonizou por cinco dias, incapaz de comer. Finalmente, ele foi apanhado pelas autoridades e levado para o consultório de um veterinário, mas teve que ser sacrificado após os veterinários terem sido incapazes de realizar a cirurgia reconstrutiva.
Vucko: mais uma vítima da insanidade humana (Créditos: Facebook/Examiner)
Clique aqui para ver algumas imagens de Vucko sendo examinado por veterinários na mesa cirúrgica. As imagens são fortes. Note a cápsula do fogo de artifício ainda encaixada na cabeça do cão.
Vucko sendo examinado na mesa cirúrgica (Foto: Care2)
A morte de Vucko morte não pode ser em vão. Esta tragédia é uma oportunidade perfeita para promover a conscientização do abuso de animais na Bósnia, onde os direitos dos animais são praticamente inexistentes, e trabalhar para evitar que qualquer um venha a cometer crimes horríveis como este no futuro.
Veja aqui mais fotos de Vucko (alerta: imagens fortes).
Bósnia: um país sem leis para os animais
Segundo reportagem do Institute For War & Peace, em um país que esteve ocupado com a guerra étnica selvagem até há pouco tempo atrás, poucos parecem ter tempo ou energia emocional para considerar o bem-estar animal.
Nem os tribunais são capazes de fornecer orientação para as autoridades quanto aos animais. A Bósnia não tem uma lei distinta ou um estatuto sobre crueldade com animais.
A humilhação de animais para entretenimento público é rotina na Bósnia. Uma reportagem na televisão em outubro passado, por exemplo, contou a história de um dono de restaurante no Monte Vlasic, que manteve um urso enjaulado para divertir seus convidados.
O absurdo que este homem cometia era intoxicar o animal com licor todos os dias na frente dos clientes, alegando que o urso ‘simplesmente adorava’.”
Petição
Dada esta situação na Bósnia, e tantas outras ao redor do mundo, os defensores de animais precisam mostrar ao mundo que atrocidades como essa não serão simplesmente vistas e depois esquecidas. Vucko nunca fez mal a ninguém e sua morte cruel não pode ser em vão. Ele merece muito das pessoas que têm compaixão sobre esta terra.
Clique aqui para assinar nossa petição pedindo que o governo bósnio elabore leis mais fortes para casos de crueldade contra os animais, e para caçar os culpados neste caso trágico.
Descanse em paz, Vucko.

Fonte: ANDA