...

B. O. ANIMAL

Página de Registros de Denúncias, Notícias e Informações da Causa Animal.

terça-feira, 27 de setembro de 2011

China - Inferno Animal

SE VOCÊ NÃO SE INCOMODA OU NEM LHE INTERESSA COMO SÃO MORTOS OS ANIMAIS AQUI NO BRASIL PARA CONSUMO DE SUAS CARNES, OU MESMO NÃO SE IMPORTA EM VER ANIMAIS ABANDONADOS NAS RUAS, SOFRENDO E SENDO BRUTALMENTE MORTOS SIMPLESMENTE POR NADA, TALVEZ VOCÊ TAMBÉM NÃO SE SURPREENDA COM CASOS VERDADEIROS QUE OCORREM DIARIAMENTE E INTENSAMENTE NA CHINA!

Rumores sobre consumo de fetos humanos na China tem se espalhado pelo mundo, superando ainda mais a indignação sobre as monstruosidades chinesas. Não foi comprovada a veracidade do fato, mas quem defenderia com unhas e dentes esta farsa depois de tantas barbaridades cometidas neste País onde milhares de fetos são impedidos de nascer quando do sexo feminino? Um lugar de tradições ultrapassadas em que Ursos pagam com vida pela extração da Bile, entre outros em nome de uma medicina tradicional nada eficaz? Sem falar nos milhares de cães ainda com vida, pendurados e expostos no meio das ruas à venda! E  o festival do massacre dos cães?
Não posto vídeos aqui por eu mesma não suportar assistir e selecionar os melhores para comprovação de tamanha crueldade desumana com animais na China, mas nada impede caro leitor de pesquisar mais sobre este assunto. Um verdadeiro Inferno Animal!

C A N I B A L C H I N A


Global Times fez uma reportagem chocante sobre como chaveiros com animais vivos estão fazendo sucesso na China.
Os modelos são vendidos na porta dos metrôs e estações de trem – e o cliente pode escolher se quer uma tartaruga ou um par de peixinhos vivos.


Os saquinhos do chaveiro só tem 7 cm de comprimento e os vendedores alegam que os animais pode sobreviver meses na água “rica em nutrientes” na qual são colocados.
Além do absurdo que é manter animais presos em um espaço minúsculo, aparentemente a atividade não é ilegal no país.
A reportagem do Global Times contou que 10 chaveiros, 9 de tartarugas e um de peixes, foram vendidos em cinco minutos. A parte boa (ou menos triste) é que muitas dessas pessoas disseram ter comprado para soltar os animais. Se isso for verdade, prova que nem todos os chineses seguem os piores massacres cometidos aos animais!

MASSACRE DE CÃES

Todos os dias na China, um número incontável de cachorros são mortos e viram comida, como parte de uma tradição culinária que data milhares de anos. Mesmo assim, a crueldade que esses animais enfrentam tem sido raramente divulgada. Recentemente, a imagem de uma mulher cozinhando um filhote vivo do lado de fora de um mercado público teve grande repercussão pela internet desde o dia em que foi publicada, alguns dias atrás. Essa cena é realmente chocante e inimaginável, porém foi reportada como nada incomum. Mas a grande polêmica que a foto causou pode também ser o início de uma grande reforma.
Milhares de cães são assassinados para festival gastronômico na China

Mais de 15 mil cães foram mortos para um festival de carne canina em Yulin, no leste da China. O festival começou no fim de semana e dura uma semana, segundo informou o jornal Daily Mail.

A cidade é conhecida como a região com a ‘carne canina mais ‘apetitosa’ no mundo. Os fazendeiros na região são conhecidos por criar tipos diferentes de cães especificamente para serem comidos. O festival foi criado para promover o produto da região.

Mas existe uma mudança de mentalidade na China e uma proposta de proibir o consumo de carne canina está em andamento. Durante os jogos olímpicos de 2008 esse tipo de carne foi retirada do cardápio para não ofender os visitantes.

Cães enjaulados são transportados para a morte!



Sofrimento Animal vira Arte


Você tem um "brinquedinho" como este aí na sua casa? Sabe como e onde ele é feito?
A verdade sobre este inocente brinquedinho é muito mais absurda do que você possa imaginar. Trata-se de pele de cães e gatos. Isso mesmo que você acabou de ler. Anualmente, mais de 2 milhões de cães e gatos são massacrados na China para retirada de suas peles. Entre as váriasutilizações da pele retirada dos animais, os chineses transformam cães egatos vivos em miniaturas macabras. Em Amsterdã na Holanda, foram realizados testes de DNA em várias miniaturas como esta para comprovar a autenticidade dos fatos. Portanto, se você tem um brinquedinho como este, jogue-o no lixo e junte-se a nós no próximo Protesto Internacional Anti-Peles.

BOICOTE PRODUTOS CHINESES
DIGA NÃO AO MAIOR PRODUTOR

DE PELES DE ANIMAIS DO PLANETA!

Tortura chinesa

Fazendas na China confinam
milhares 
de ursos para extrair,
com método cruel, a bile usada
pela medicina oriental


Daniel Hessel Teich

Fotos www.wspa-international.org
Ursos nas gaiolas onde são feitas as "ordenhas": sem espaço suficiente nem para se sentarem, eles vivem deitados

A medicina tradicional chinesa é uma tragédia para alguns dos animais mais bonitos do planeta. Impiedosamente caçados para que seu pênis seja usado como remédio para impotência, os tigres do sul da China estão reduzidos a trinta exemplares. Dos rinocerontes da ilha de Sumatra, cujos chifres abastecem as farmácias chinesas, restam apenas 300. Não impressiona só o massacre promovido pelo curandeirismo oriental. As fazendas de criação de ursos da China são cenário de chocante crueldade. Os animais são mantidos em cativeiro para a extração da bile, líquido produzido pelo fígado. Há 3.000 anos esse é um dos remédios mais populares da medicina oriental. Os chineses – e também seus vizinhos da Coréia, Vietnã, Japão, Malásia e Cingapura – acreditam que o líquido de cor amarelo-esverdeada, que no organismo participa do processo de digestão, tem poderes para curar dezenas de doenças, de problemas cardíacos a febre. Um método doloroso de extração da bile do animal vivo permite aos chineses manter um comércio em escala industrial.
A produção anual de bile é de 7.000 quilos, dos quais 3 000 são destinados à exportação. Cada grama de bile, que é usada na confecção de cápsulas, talco, colírio, elixires e xampus, vale entre 15 e 20 dólares no mercado internacional. O governo chinês estima que existam 7.000 ursos confinados em 250 fazendas, muitas delas estatais, criadas no país desde os anos 80. As terríveis condições em que os ursos são mantidos nos criatórios foram um dos temas da Convenção Internacional sobre Comércio de Espécies Ameaçadas da Fauna e Flora Selvagem (Cites), realizada nas duas últimas semanas em Santiago, no Chile. A Sociedade Mundial de Proteção aos Animais, com sede em Londres, apresentou um relatório com imagens nunca antes vistas da situação em que vivem os ursos. Criados em cativeiro, passam praticamente toda a vida apertados em pequenas gaiolas. Ainda jovens, com cerca de 3 anos, são submetidos a uma cirurgia para que um cateter seja colocado em sua vesícula biliar, órgão que armazena a bile produzida pelo fígado. Uma ponta do tubo fica para fora, na altura da cintura do animal. Por ali, duas vezes por dia, são extraídos entre 10 e 20 mililitros de bile.
É a chamada "ordenha". Provoca tanta dor que os ursos urram e mordem as patas durante o processo. Para facilitar o manejo, os animais são mantidos em gaiolas com 1,90 metro de comprimento por 80 centímetros de largura. As espécies mais comuns nas fazendas – o urso-malaio, o negro e o marrom asiáticos – são de bom porte, com cerca de 130 quilos e 1,50 metro de comprimento. Como nas gaiolas não há espaço suficiente para se movimentarem nem sentarem, passam a maior parte do tempo deitados. A extração constante e as precárias condições provocam alterações no ciclo de vida. A produção de bile termina em sete anos. O urso, então com 10 anos, é morto para a retirada da vesícula biliar, também usada no preparo de remédios – cada uma é vendida por 150 dólares. Na natureza, ele poderia chegar aos 25 anos. O ácido biliar de urso é apenas um entre centenas de produtos medicinais chineses de origem animal. É um negócio de lógica cruel. Quanto mais raro o bicho e mais difícil a extração de substâncias, mais caro e procurado é o produto.
A medicina tradicional chinesa divide os remédios em categorias de acordo com características como sabor e qualidade. A bile do urso é valorizada por ser extremamente amarga. Recentemente, laboratórios descobriram a existência de um ácido na bile do urso, chamado UDCA, e passaram a sintetizar a substância. Mas poucos chineses aceitam trocar o produto natural por um sucedâneo de laboratório. Não há evidências científicas da eficácia dessa medicina tradicional. O uso se deve unicamente a crendices populares e raízes culturais fincadas no curandeirismo. O tigre é visto como um animal forte e heróico, o que tornaria produtos feitos a partir de seu organismo bons para as deficiências humanas. "Na própria medicina tradicional há dezenas de substitutos para os ossos de tigre, mas a literatura, a ópera e os ditos populares chineses exaltam tanto a bravura desse animal que as pessoas preferem consumir produtos que tenham partes dele nas fórmulas", diz a médica Huang Lixin, da Faculdade Americana de Medicina Chinesa. É uma lástima. Os remédios chineses estão causando a extinção de muitos animais – e não há sequer a compensação de que a matança possa trazer algum benefício à saúde humana.



Veja esta reportagem:

Polícia chinesa combate exploração de bile de ursos no país
publicado em 03/05/2010 às 10h51


A polícia ambiental chinesa fechou neste fim de semana a última de 20 fazendas que extraíam bile do fígado de ursos. No país, acredita-se que o líquido trata e cura alguns problemas de saúde.

Crueldade Na China Leva Mãe Urso Estrangular Seu Filhote E A Se Matar...

Postado em 24/08/2011

Uma ursa mãe, em uma tentativa desesperada de salvar seu filhote de uma vida de tortura, o mata por estrangulamento e depois se suicida na China.Os ursos foram mantidos em uma fazenda localizada em uma área remota no noroeste da China. Os ursos na fazenda tinha suas vesículas biliares ordenhadas diariamente para "bile de urso ', que é usado como um remédio em Medicina Tradicional Chinesa (MTC).Foi relatado que os ursos são mantidos em gaiolas minúsculas conhecidas como "gaiolas esmagadoras", assim os ursos não podem se mover e ficam literalmente esmagados.A bile é colhida fazendo-se um buraco permanente ou fístula no abdômen dos ursos e na vesícula biliar.Como o buraco nunca é fechado, os animais são sujeitos a várias infecções e doenças, incluindo tumores, câncer e morte por peritonite.Os ursos são vestidos com um colete de ferro, já que muitas vezes tentam se matar batendo seu estômago por não suportarem a dor da extração da bile.Uma pessoa que estava na fazenda testemunhou os procedimentos e disse ao jornal que eram desumanas.A testemunha também afirmou que a ursa estourou sua gaiola, quando ouviu os gritos de seu filhote, com medo de um trabalhador perfurar seu estômago para iniciar a extração de bile. Os trabalhadores fugiram de medo quando eles viram o urso mãe correndo para o lado de seu filhote. Incapaz de libertar o filhote, a mãe abraçou o filhote e, consequentemente, estrangulou-lo. Em seguida, soltou o filhote e correu batendo sua cabeça em uma parede, matando-se.Muitos profissionais TCM têm denunciado o uso da bílis de urso em seu tratamento, pois há ervas mais baratas e sintéticos que podem ser usados ​​em seu lugar.Bile de urso é tradicionalmente usado para remover o "calor" do corpo, bem como tratar a febre alta, doenças do fígado e dor nos olhos.















O fato é que não se consegue controle definitivo de tantas barbaridades contra animais. Denunciar é preciso!



http://veja.abril.com.br/201102/p_068.html

Um comentário:

  1. Eu não aguento mais a crueldade dos chineses!!! Isso acaba com a minha felicidade. Como conseguir levar uma vida normal e feliz sabendo dessas atrocidades??? Eu nunca vou pisar nesse país e sem medo desejo o pior para todos eles. Porque Deus não pode ser a favor de atrocidades como essas.

    ResponderExcluir