...

B. O. ANIMAL

Página de Registros de Denúncias, Notícias e Informações da Causa Animal.

segunda-feira, 13 de fevereiro de 2012

Caso Yorkshire - Ministério Público acusa enfermeira por dois crimes

Dois crimes

10 de fevereiro de 2012 


MP denuncia enfermeira por agressão e morte de yorkshire em Formosa



Foto: reprodução da internet
O Ministério Público do Estado de Goiás ofereceu denúncia criminal contra a enfermeira Camila Correa Alves de Moura Araújo dos Santos, acusando-a de crime ambiental e delito previsto no Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), em razão da agressão e morte de um yorkshire, ocorrida em Formosa, em novembro do ano passado.
Na peça acusatória, o promotor Lucas Danilo Vaz Costa relata que, nos dias 12 e 13 de novembro de 2011, a denunciada feriu o cachorro em sua residência, na presença da filha J. de 1 ano e 6 meses.  Na avaliação do MP, a menina foi submetida a constrangimento ao testemunhar a agressão. De acordo com o promotor, Camila maltratou, deu vários chutes, golpes de balde na cabeça, puxões e tamponamentos de balde no animal, o que levou à morte o pequeno cachorro com poucos meses de vida.
Ao agir desta forma, sustenta a acusação, a enfermeira cometeu os crimes descritos no artigo 32, parágrafo 2º, da Lei 9.605/98 (Lei dos Crimes Ambientais), quando se pratica maus–tratos, ato de abuso, a animais silvestres, domésticos, nativos ou exóticos, bem como no artigo 232, da Lei 8.069/90 (ECA), quando o acusado submete criança ou adolescente sob sua autoridade, guarda ou vigilância a vexame ou a constrangimento.
A pena prevista para crime ambiental varia de 3 meses a 1 ano de detenção e multa; já para o delito do ECA a punição é de seis meses a dois anos de detenção.
Fonte: ANDA

5 comentários:

  1. Estou torcendo para que a justiça seja feita e esse monstro denominado de camila seja obrigada a lamber o chão que os Cachorrinhos pisam.

    ResponderExcluir
  2. Essa informação procede??? Ela já está na cadeia?!

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. A informação procede e o caso foi encaminhado para a Justiça. Se o MP não tivesse acusado ao menos por um dos crimes nossas esperanças teriam acabado. Vamos torcer para que o Brasil acorde com estes crimes!

      Excluir
  3. O número do processo no Tribunal de Justiça de Goiás é 25146-65.2012.8.09.0044, recebidos pelo Juiz Fernando Oliveira Samuel, da 2ª Vara Criminal de Formosa em 15/02/2012. Vamos acompanhar. Ainda que condenada, certamente responderá em liberdade, já que tem profissão, endereço fixo, "bons antecedentes". Condenados estamos nós a conviver eternamente com aquelas cenas. Jamais será absolvida também a menina que as presenciou, Deus não permita que se torne uma psicopata como a mãe. A minha única esperança de justiça é de que seu nome e rosto jamais sejam esquecidos, e que ela jamais possa exercer sua profissão. Eu não deixaria um ente querido em suas mãos...quanto ao pequeno, não tenho dúvidas de que repousa nos braços cuidadosos e amorosos do Senhor. Assim seja.

    ResponderExcluir
  4. Vamos acompanhar! Ninguém esqueceu não!

    ResponderExcluir